Tecnologia para gestão de clima nas empresas

Uma pesquisa de clima por meio de um questionário com mais de 40 questões aplicadas aos colaboradores em um processo entediante e que não engaja. É assim que, ainda hoje, a maioria das empresas trata a questão do clima organizacional. Além de não convencer o colaborador – que acaba não sendo otimista em relação a mudanças no curto prazo -, o processo que se segue, sob a responsabilidade do RH, demanda muito tempo, planilhas e organização para compilação dos dados.

É preciso gerar visões das diretorias, separar as informações por setores e divisões internas e, no meio desse processo, qualquer erro simples é capaz de comprometer todo o resultado da pesquisa. Qualquer falha na planilha pode gerar dados incorretos e informação errada significa comprometer a qualidade de todo o esforço.

O ponto é que, mesmo que todos os dados sejam organizados de maneira fiel às respostas dos colaboradores, o resultado é um retrato do clima organizacional naquele momento, o que significa que uma resposta pode ter sido influenciada por inúmeros fatores passageiros.

Como o novo ciclo de pesquisa só acontecerá no ano seguinte, ou em pelo menos 6 meses, os gestores não conseguem acompanhar as mudanças e os colaboradores não veem resultado efetivo no que se propuseram a responder, tornando o método pouco eficiente no final.

E como podemos evoluir esse cenário? A tecnologia é uma grande aliada para mudar a maneira como se enxerga hoje a questão do clima organizacional nas empresas. Com ela, podemos tirar o esforço operacional do RH e fazer com que a área exerça papel mais estratégico.

Durante o CONARH 2017, Jandir Tambosi, Analisa de Negócios – Gestão de pessoas, falou sobre o assunto na palestra “Sinta o clima em tempo real” e mostrou como esses questionários densos podem ser facilmente diluídos em sequências de 5 a 10 perguntas parametrizadas e enviadas em curtos períodos de tempo (semanal, quinzenal ou mensal, por exemplo). Durante o evento, Tambosi também apresentou o Moods, solução de pesquisa contínua de clima por meio de uma plataforma automatizada. .

A pesquisa acontece de maneira anônima, simples, rápida e prática, o que aumenta o poder de engajamento do colaborador com as causas da organização. Por meio de um algoritmo, a ferramenta envia automaticamente o questionário na frequência estabelecida, sem a necessidade de ação do RH. A solução também se encarrega de receber essas informações, classificar e enviar o resultado pronto para os gestores e para o RH.

As métricas podem ser consultadas conforme as respostas chegam ao sistema, simplificando a medição e facilitando o monitoramento contínuo do clima organizacional. Além disso, o RH pode focar nas ações estratégicas com os gestores e fomentar ações proativas no curto prazo. Em alguns casos, uma reunião semanal entre gestores e equipe é suficiente para mudar o clima. Em outros é necessário adotar ações pontuais. O que importa é perceber a necessidade de agir de forma constante para promover um ambiente mais saudável dentro das organizações.

“O objetivo do Moods é criar ambientes saudáveis, criativos, colaborativos e inovadores. Assim, conseguimos reter os colaboradores e atrair novos interessados em compor o time de líderes e liderados. Com bons colaboradores, você automaticamente agrega valor à sua marca, pois disponibiliza produtos e serviços com maior qualidade para seus clientes”, explica Tambosi.