TECNOLOGIA PARA GESTÃO: NECESSIDADE FUNDAMENTAL PARA EMPRESAS COMPETITIVAS E INTELIGENTES

Este é um momento importante para o mercado brasileiro. Oscar Wilde disse que o descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem ou de uma nação. Não contentes com seus resultados, as empresas buscam formas de melhorar a performance.

Tenho visto diversas chamadas em portais falando de como a tecnologia, em especial a da informação, tem ajudado as empresas a contornar a crise.  Cito algumas:

  • TI prepara varejo para competição diante de possível crise
  • Em tempos de crise, internet entra na rotina dos consumidores mais atentos
  • Tecnologia: um antídoto à crise
  • Tecnologia: uma aliada em tempos de crise
  • Soluções de TI são decisivas para o sucesso de empresas na crise.
  • A Inovação da TI será fundamental para transformar a crise econômica em oportunidade
  • Em tempos de crise Usina Termo Elétrica (SE) investe em software de gestão e tem colheita 30% maior
  • Na contramão da crise, empresa brasileira investe R$ 5,5 milhões em plataforma inovadora
  • Empresa cria software que auxilia gestão pública a economizar
  • Tecnologia de gestão de viagens como saída para crise
  • Oito em cada dez indústrias da construção pretendem investir em tecnologia nos próximos cinco anos
  • Tecnologia é prioridade para 25% dos CEOs, diz Gartner
  • Empresas que querem aumentar a competitividade devem investir em tecnologia

Mas o mais importante deste momento é ver que de fato as empresas brasileiras realmente começam a dar a devida importância aos investimentos em tecnologia. A resistência ainda pode existir, e sempre existirá por parte de alguns CEOs, porém as notícias nos mostram que ela está diminuindo.

Penso que a competitividade é um dos grandes motores deste novo comportamento. Uma vez que as empresas começaram a competir de forma mais agressiva nos seus mercados, se faz necessário investir em motores de inovação. E estes são de fato tecnologia e pessoas.

De acordo com analistas do Gartner, a inovação é crucial na medida em que passamos da gestão da crise no curto prazo para a recuperação. A TI é a pedra fundamental da criação de riqueza nas economias modernas: as empresas e as agências governamentais devem acelerar os investimentos em TI para continuarem a ser competitivas e retornar à prosperidade.

Na busca por competitividade, as empresas percebem que precisam melhorar sua performance. Olham para dentro e identificam que precisam aperfeiçoar a gestão e se tornar mais produtivas para que possam atingir o resultado almejado.

Novamente a tecnologia pode ser a grande protagonista dessa conquista. Soluções tecnológicas trazem excelentes resultados quando aplicadas adequadamente à otimização de recursos, gestão de processos, redução de gastos, otimização de recursos e até no relacionamento com o cliente.

Uma pesquisa realizada pela Nucleus Research em 2014 mostra que para cada R$ 1 investido em um sistema de gestão, o retorno pode ser de até 700%. Mais que isso, as empresas que investiram em ferramentas de gestão cresceram, em um período de 5 anos, no mínimo 36%.

Para o presidente CA Technologies na América Latina, Laércio Albuquerque, a tecnologia passa de um item tático a um diferencial competitivo e um fator de sobrevivência. E quando falamos em gestão, isso fica claro. Tecnologia para gestão não é mais um diferencial e sim uma necessidade fundamental para empresas competitivas.

Aliás, para ser mais competitivo é preciso, acima de tudo, ser inteligente. Os líderes tomam decisões o todo tempo nas empresas, e para que possam ser inteligentes nas suas decisões, algumas tecnologias podem ser decisivas.

 

Chiara da Costa

É especialista em Marketing e atua como analista de Inteligência Competitiva na Senior. No blog, escreve sobre tendências de mercado, ambiente competitivo em TI e segmentos econômicos estratégicos.